Oi leitor(a), tudo bem?


Hoje falarei sobre um novo serviço da Amazon, se você ainda não tinha ouvido falar tenho certeza que esse post será muito interessante, principalmente se sua preferência for por livros digitais. Começo logo com uma pergunta:
  • Gosta do Netflix? O que acharia de um serviço parecido, mas só que com livros?
A Amazon pensou nessa questão e trouxe uma novidade super legal para os seus usuários que deixou de ser rumor e se tornou realidade: o Kindle Unlimited.

Como o próprio nome propõe você terá acesso para ler diversos livros, sem limite algum. Imagine que você entrou em uma biblioteca com quase todos os livros do mundo pagando apenas um valor não muito alto para entrar. Lá dentro você pode ler qualquer livro sem custo algum. Agora pense em uma versão digital disso, em você em sua casa e a biblioteca é o seu Kindle, seria bom demais para ser verdade não é?

Mas isso é realidade para os usuários da Amazon nos Estados Unidos e pode ser testado gratuitamente, sim de graça, por 30 dias. Se você gostar é só pagar $9.99 por mês. Muito barato, por sinal. 

A empresa fez acordo com editoras e detentores dos direitos autorais de mais de 600 mil e-books, parte dos milhões de livros eletrônicos existentes em sua loja virtual, para o plano de assinatura que também dará acesso a cerda de 2 mil audiobooks (a maioria em inglês).

Por enquanto o serviço está disponível somente para os usuários que contém conta na loja norte-americana, mas a boa notícia é que não é necessário você possuir um Kindle para ter acesso ao plano, basta acessar o aplicativo do Kindle para seu dispositivo móvel ou computador.

Confira o vídeo oficial da Amazon sobre o Kindle unlimited e até o próximo post o/ .


Oi leitor(a), tudo bem?

Estive um pouco mal nesses dias para trás e acabou que fiquei sem inspiração para escrever alguma coisa para o blog. Tenho resenhas para escrever, posts de novidades entre outras coisas que acabaram acumulando durante esse tempo que fiquei um pouco ausente. Mas, agora está tudo ok, e não se preocupe que postarei um tanto de novidades daqui pra frente, fique de olho no blog!


Porém, vamos começar com o essencial: estou devendo para você o resultado da promoção que estava rolando no blog e que terminou ontem às 19 horas pelo horário de Brasília, estado onde vive Maurício Gomyde, autor dos 5 livros que estavam sendo sorteados juntamente com o Kindle.

O prêmio é tentador não é verdade? Até eu estava com muita vontade de ganhar os livros e o e-reader da Amazon. Porém, infelizmente, não foi dessa vez que ganhei o prêmio já que quem foi sorteada foi uma menina que participou no blog Diário de incentivo à leitura.

A sortuda se chama Kamila Evely de A. Brandão e é pernambucana, sua participação foi de número 478, confira na imagem divulgada no site do autor:



Por pouco teríamos um ganhador que participou aqui no Entre Páginas de Livros, quem sabe da próxima..

Se você está perdido(a), a promoção foi realizada por mais de 100 blogs parceiros do Maurício Gomyde, o autor fez o sorteio entre todos os participantes, tirando as participações repetidas no mesmo blog. Segundo ele em média foram 100 participantes por blog.

Difícil ganhar? Sim, mas não impossível e também mais mais fácil do que ganhar na mega-sena. Se você não ganhou, não fique triste, estamos juntos nessa! Semana que vem tem uma nova promoção parecida, vamos participar? Para isso fique de olho no Entre Páginas de Livros!

Para ver o post do sorteio clique aqui.

Até o próximo post o/


Quando eu era mais nova, assisti a um filme que se chamava Escritores da Liberdade (Freedom Writers), não é uma “superprodução”, mais mudou minha forma de enxergar o mundo.
 

O Filme é um drama, que conta a história de uma professora, Erin Gruwell, que começa a lecionar em um colégio, é colocada na turma de alunos problemáticos e não tinha a ajuda da própria escola. No começo, ninguém a respeitava ou a ouvia, tentava sempre quebrar essas barreiras e acabava sendo frustrada. Erin não desistiu, ela achava que podia acabar com as descriminações étnicas, com os grupos que se formavam.  Ela começou a conhecê-los, arrumou outro emprego temporário para poder comprar livros aos alunos, já que não possuía ajuda do colégio. Arrumou um terceiro emprego em um hotel, para fazer um passeio com a turma, lutou para conseguir a liberação, quando conseguiu, levou os alunos para um museu sobre o holocausto (Museu da Tolerância), completando o passeio com um jantar no hotel em que estava trabalhando, com sobreviventes do holocausto, passou para eles o livro de Anne Frank. Resolveu então entregar um diário para que cada um pudesse todo dia escrever, não importa o que fosse, contanto que escrevessem todos os dias, informou que só leria os diários se permitissem, era só colocar no armário, para a surpresa dela, todos estavam lá. Foi nesse momento, que ela começou a saber a história de vida de cada um, como sofriam com as “Gangues”, como não tinham nada lá fora. Ela foi conseguindo aos poucos, mostrar aos alunos, que todos tinham uma história em comum, com amigos que foram mortos, guerra das gangues, familiares presos, risco de morrer a cada dia. Mostra que a discriminação, seja por cor ou qualquer outra coisa, afetam a todos. Erin conseguiu que um empresário doasse computadores, com isso eles digitaram os diários e formaram o livro com o título Diário dos Escritores da Liberdade.

 
"Se fosse por mim eu nem aparecia na escola, meu oficial de condicional me ameaçou dizendo que era a escola ou o reformatório, babaca, ele acha que os problemas que rolam em Long Beach, não vão me afetar em Winston. O infeliz não entende que as escolas são como as cidades, e a cidade como uma prisão, todas elas divididas em seções separadas dependendo das tribos. Tem o pequeno Camboja, o gueto, a 'branquelândia' e nós do sul da fronteira, ou pequena tihuana as coisas são assim e tudo mundo sabe. O negocio é esse: uma tribo tentando se apossar do território do outro é tomar o que não é dela.”
 
O livro foi publicado, com os diários dos alunos, a partir disso foi gerado o filme, que foi dirigido por Richard Lagravenese e conta com nomes como Hilary Swank (que já foi duas vezes premiada com o Oscar), Imelda Staunton, Patrick Dempsey, Scott Glenn, entre outros grandes atores. Uma curiosidade é que usaram os sobreviventes reais do holocausto, tentaram repassar a história o mais real possível.
 
Porque mudou minha forma de enxergar o mundo? Quando assisti pela primeira vez, era mais nova, não tinha noção da realidade e esse filme me mostrou isso, o sentimento de uma pessoa que sofre com descriminação, com o abuso de seus próprios familiares, a batalha deles pela vida, para sobreviver a cada dia.

Ao longo do filme você vai se emocionando, porque aparece a história de cada um, meninas que apanham dos pais, pessoas que não possuem onde morar e que só iam à escola para que não fossem mandados para o reformatório. A professora conseguiu inovar a maneira de se dar aula, conseguiu juntar pessoas que se odiavam sem ao menos se conhecerem.

O propósito do filme é justamente esse, mostrar que não existem “tribos” como se denominam na história, que a escola precisa educar o aluno e não “menospreza-los”, talvez aí, o mundo comece a mudar, a não haver tanta guerra, até porque educação é a base de tudo.

É um filme baseado em uma história real e que vale muito a pena ser visto.

Recentemente fui fazer uma pesquisa de filmes que ainda não tinha visto, encontrei nessa lista o nome "Now is Good", fui pesquisar sobre, me intrigou quando li o resumo do filme e percebi que era uma versão de "Um amor pra recordar" ou " A Culpa é das Estrelas", uma versão bem mais "rebelde".

O filme conta a história de Tessa, uma jovem adolescente que tem leucemia (a leucemia refere-se a um grupo de cânceres que afetam as células brancas do sangue), possui um pai que é obcecado em achar uma cura e uma mãe ausente. Tessa faz uma lista de coisas que queria fazer antes de morrer, junto com sua amiga, começa a pôr em prática alguns itens. O primeiro que tentou foi perder a virgindade, quando chegou na hora viu que não era daquele jeito que ela queria, então desistiu. Em seguida foi tentando os outros, como roubar, usar drogas... Que Lista! Conhece então, no meio disso tudo, Adan, seu vizinho dos fundos, ambos se apaixonam e Tessa começa a ver a vida de um jeito diferente, ter outros desejos, Adan tenta ajuda-la com sua lista. Paralelo a ela, tem a história de sua amiga, Zoey, que vive a gravidez na adolescência. O câncer de Tessa foi aumentando, foi morrendo aos poucos, até que um dia ela se vai.

Não posso mentir, chorei vendo esse filme, porque apesar dele ter uma história "parecida" com outros, ele mostra muito a realidade, o drama da família, o fato de saber que vai morrer em pouco tempo, como você ficaria ao saber que seus dias estão contados? Qual seria sua lista?

O filme é baseado no livro Before I Die de Jenny Downham, conta com uma lista de grandes atores, entre eles o personagem principal Tessa, vivido por Dakota Fanning, uma atriz com um currículo cheio de sucessos como A Saga Crepúsculo, quando foi chamada para o papel, aceitou na hora, em uma entrevista Dakota diz ter amado a história e a personagem. É uma personagem diferente, aceita sem dramas a realidade, com isso tenta apenas viver, para que o pouco que viveu tenha valido a pena.

Com a adaptação algumas coisas foram mudadas ou cortadas, como por exemplo, a mãe de Tessa, no livro ela abandonou o marido e os filhos para morar com outra pessoa, já no filme, ela é apenas uma mãe ausente, mesmo com mudanças a adaptação ficou muito boa. Jenny Downham levou dois anos e meio para escrever Before I Die, o interessante dessa leitura é que a autora quis passar um lado verdadeiro da história, uma adolescente normal, com desejos, rebeldia, enfrentando a morte sem aquela depressão toda. É um livro realmente muito bom e um filme ótimo.


É um filme que te faz refletir sobre tudo, sobre curtir a vida, aproveitar enquanto pode. As últimas frases do filme dizem "Nossa vida é uma série de momentos. Cada um, uma viagem para o fim. Desapegue-se", que transmite que não devemos nos apegar as coisas, nem a rivalidades, pois nossa vida é passageira, não volta e quando nos demos conta está perto do fim.

Depois de Harlan Coben o autor que eu mais gosto é Markus Zusak que você deve conhecer muito bem, talvez não pelo nome, mas pelo título de um livro que ele escreveu: A menina que roubava livros, sim, aquele livro que conta história que se passa na Alemanha durante a 2° Guerra Mundial onde a protagonista ''rouba'' livros e é a melhor amiga do Rudy, personagem que muitos leitores são fãs.

Mas, você deve saber que Zusak não escreveu apenas A menina que roubava livros em 2005, mas também um livro independente e uma trilogia nos anos anteriores.

Em 2002 o autor lançou "Eu sou o mensageiro", que é o melhor livro que já li, nele conhecemos a história de Ed Kennedy, um jovem fracassado de 19 anos que começa a receber cartas com determinados endereços por meio da carta 'Ás' do baralho, em cada endereço ele tem uma tarefa para fazer (leia a resenha e entenda melhor clicando aqui).

 - Fonte 
Já a trilogia se chama "Os irmãos Wolfe", e conta a história dos irmãos Wolfe (ok, não precisava dessa né...). Os dois primeiros livros da série foram lançados pela Bertrand Brasil, já o terceiro foi lançado pela Intrínseca que acabou com a alegria dos fãs da trilogia por fugir do padrão tanto com a capa e a diagramação, mas, pelo menos, fez um excelente trabalho tanto com a capa e a edição que ficaram bem melhores. Porém, fica estranho ter os três livros, diferentes, na estante.

Ah, é importante eu dizer que os livros dessa trilogia não precisam ser lidos em sequência, se você ler o terceiro primeiro, como eu fiz, e ler o primeiro depois não tem problema nenhum, você entenderá a história sem dificuldades. Porém, se você puder ler em sequência é melhor já que assim você acompanha a mudança da família Wolfe em cada livro.

Confira abaixo os três livros (O primeiro lançado em 1999 sendo também o primeiro livro publicado por Markus Zusak, o segundo em 2000 e o terceiro em 2001) :

O AZARÃO – OS IRMÃOS WOLFE #1
Narrado em primeira pessoa, o livro apresenta a história de Cameron Wolfe, um garoto de 15 anos, perdido na vida e que vive às turras com a família. Trabalha com o pai encanador e sua mãe está sempre brigando com os filhos, na pequena casa onde todos moram juntos. Steve é o mais velho e mais bem-sucedido. Sarah é a segunda, e está sempre dando uns amassos com o namorado. Rube é o terceiro e o mais próximo de Cameron. Os dois, além de boxeadores amadores, vivem armando esquemas para roubar lojas e outros locais do tipo. Contudo, os planos nunca saem do papel. Uma história sobre a vida e sobre as lições que dela podem ser tiradas. Um romance de formação que exibe um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida


BOM DE BRIGA – OS IRMÃOS WOLFE #2
Se no primeiro título o autor traz um romance de formação de um jovem incorrigível, infeliz consigo mesmo e com sua vida, agora ele exibe dois irmãos em busca de um propósito na vida. Bom de briga retrata a evolução dos irmãos Cameron e Ruben Wolfe como seres humanos. No primeiro livro, a dupla estava sempre atrás de algo errado para fazer. Dessa vez eles entram no mundo das lutas amadoras de boxe, buscando independência para suas vidas. Enquanto Ruben mostra um talento nato para a coisa, o outro tenta apenas sobreviver. Tudo que é ruim é normal no dia a dia da família Wolfe - como os silêncios, as brigas, a pobreza, a mediocridade. Eles já se acostumaram com isso e sempre têm uma justificativa para tanto. Cameron, o mais novo, é o exemplo do jovem batalhador. Desde cedo apanha e se levanta, mostrando que o que importa não é a força da pancada, mas se você tem a força necessária para se reerguer.


A GAROTA QUE EU QUERO – OS IRMÃOS WOLFE #3
Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.


Um último fato e curiosidades: Zusak é australiano, caçula de quatro filhos (assim como o Cam da Trilogia Irmãos Wolfe), seus pais são imigrantes. O autor passou a maior parte da infância jogando bola e brincando com os irmãos e amigos e começou a escrever aos 17 anos. O livro A Menina que Roubava  Livros foi criado, entre outras razões, devido ao fato de que o autor cresceu ouvindo histórias a respeito da Alemanha Nazista, sobre o bombardeio de Munique e sobre judeus marchando pela pequena cidade alemã de sua mãe. Ele sempre soube que essa era uma história que ele queria contar.
Tenho ser humano em minha escrita. Comecei a escrever porque era o caminho natural. Durante o ensino médio eu era um menino muito introvertido, sempre com histórias na cabeça. Então resolvi escrevê-las. (Markus Zusak)
Sabe aquela pessoa que é movida por músicas, filmes e livros? Aquela que anda na rua com fone de ouvido quase que fazendo um clipe? Então, essa sou eu!

A cada segundo do dia estou ouvindo música, de todos os estilos, chega a ser até engraçado, como alguém pode ter na playlist Rock e também ter forró? Rsrs

Filmes... Minha paixão, como uma fuga do dia a dia, assim como os livros. Quando eu leio é como se uma válvula de escape tivesse sido acionada, com ele eu viajo em cada detalhe, por exemplo, em como seria a fisionomia de cada personagem. Já quando assisto um filme, vejo a história acontecendo, ganhando vida e isso no meu ponto de vista é sensacional. Costumo ir sempre ao cinema, porém nada melhor que ficar debaixo da coberta, em casa, isso me ganha.

Sou bastante eclética, gosto de filmes e livros de ação, terror, suspense, romance, comédia romântica, drama, ficção, resumindo gosto de todos. Resolvi então compartilhar isso com vocês, compartilhar idéias, pensamentos, críticas, lançamentos, etc.

Sou carioca, amo animais, gosto de dançar e faço faculdade de biologia.

Sou a nova colaboradora do Blog Entre Páginas de Livros e darei o meu melhor, vem bastantes novidades por aí.
 
Adicione o livro no: Skoob / Orelha de Livro     |     Encontre o melhor preço

O primeiro livro que li do Maurício Gomyde foi Ainda não te disse nada seguido de O rosto que precede o sonho e agora A máquina de contar histórias que foi o primeiro livro do autor lançado pela Novo Conceito depois que ele deixou de publicar seus livros de maneira independente. Porém, mesmo com um enredo totalmente novo com uma nova fórmula e uma narrativa fácil e simples,  A máquina de contar histórias ainda não consegue superar Ainda não te disse nada.


Em seu novo livro, Gomyde decidiu deixar o amor entre casais de lado e apostou em um novo tipo de amor, talvez mais forte, verdadeiro e leal: de um pai com suas filhas tendo que superar a morte da esposa e encontrar maneiras para ganhar a confiança das filhas. Ao tomar essa decisão o autor mudou a fórmula usada em alguns livros anteriores e deu certo.

Através de capítulos curtos, conhecemos a história do renomeado escritor brasileiro Vinícius, que é uma verdadeira máquina de contar histórias e que está lançando seu novo livro, que é um dos mais esperados pelos leitores, em Belo Horizonte. Toda a felicidade do autor se esvazia quando recebe o recado da morte da mulher, Viviana, que sofria de leucemia e finalmente descansou e se livrou de todo o sofrimento.

A alguns anos atrás, Viviana recebeu o diagnóstico da doença e descobriu que estava com leucemia. A notícia pegou a família V de surpresa deixando todos tristes. O problema é que Vinícius não esteve tão presente na vida de suas duas filhas, Valentina que tem 16 anos e da pequena Vida de apenas 4 anos e não entende direito o que está acontecendo. O autor preferiu encontrar na escrita de seus livros um refúgio para a realidade não prestando muita atenção no mundo a sua volta. Além disso, o rapaz não esteve do lado da mulher quando ela mais precisava, quando ela já não aguentava mais tanto sofrimento.


Agora, todo o sucesso não importa para Vinícius que está sem amigos e segue rejeitado pelas filhas, principalmente pela Viviana, gerando uma dor tremenda e um vazio maior em sua vida. Resta a ele tentar ganhar o amor da sua família e tentar recuperar o tempo perdido, voltando a unir e trazer a felicidade restante para a família V.

Será que Vinícius vai conseguir reconquistar a confiança das filhas?

É nesse momento que a narrativa do livro começa a ganhar impulso e ficar mais interessante e diversificada já que Vinícus viaja com suas filhas para Itália, Espanha e Inglaterra. Nesse momento, além do leitor acompanhar as tentativas do protagonista para reconquistar o amor e confiança das filhas ele também viaja junto com os personagens para esses países devido as ótimas descrições nos momentos certos.

Além disso, o leitor aprende com o livro, assuntos como técnicas para criações de novas histórias e escrita são o que não faltam. Será que é melhor escrever usando técnicas ou amor? Isso é discutido nas páginas do romance que traz também assuntos como músicas (característico do autor, que também é músico, em seus livros), amor, o perdão, união e a importância de uma família unida.

Todos os personagens foram bem construídos, descritos e detalhados assim como os cenários. Em alguns momentos o leitor ficará com raiva do Vinícius, em outros pena e finalmente torcendo por ele. Além disso, a leitura é leve, rápida e instigante, não é fácil largar o livro e é fácil acompanhar a nova história criada por Gomyde em uma única tarde.

Como se não bastasse, o leitor se depara com reviravoltas e um final emocionante, capaz de fazer muitas pessoas chorarem. Certamente esse é o melhor momento do livro que te deixará boquiaberto e te surpreenderá.

A máquina de contar histórias é um livro simples, mas que carrega em sua simplicidade fortes emoções, um enredo novo, diferente, leve, divertido que te fará rir, chorar e ficará em sua memoria por muito tempo e mais: que tocará e fará muitos leitores refletirem sobre a vida após a última página. Uma leitura mais que indicada a todos os leitores e que prova a qualidade dos livros nacionais.

A vida é uma jornada com começo, meio e fim. Cada pessoa é o herói da sua própria caminhada.
Book trailer 
Nota geral: 4,5 / 5,0 = Ótimo
Capa: 5/5----- Diagramação 5/5 ----- Personagens 4.5/5 ----- Cenário 4.5/5 ----- Narrativa 4.5/5

Algumas informações relevantes
Gênero: Ficção / Romance --- Páginas: 192 --- Lançamento: 2014 --- Editora: Novo Conceito (Novas Páginas) --- ISBN: 978858163040
Leia também: Biografia do autor Maurício Gomyde

Livro enviado de parceria com Grupo Editorial Novo Conceito

www.editoranovaspaginas.com.br
De James Patterson: Private Londres – Alguns erros são mortais. Para evitá-los é que existe a Private.


Quando os ricos e famosos estão em apuros, a primeira ligação deles não é para os serviços de emergência. Eles ligam para a Private.

Para muitas pessoas, um minuto pode ser pouco tempo. Mas foi suficiente para Jack Morgan falhar em salvar a mãe de Hannah Shapiro. Impotente e com medo, a jovem de 13 anos viu a mãe ser morta quando o pai não pagou o resgate aos sequestradores. E, embora tenha sobrevivido, guardou aquele pesadelo na memória por sete anos.

Mas isso foi antes da Private. Antes de Jack Morgan ter recursos.

Com clientes de elite, a agência se expandiu, abrindo filiais no mundo inteiro. Com um seleto time de investigadores e equipamentos de última geração, a Private é uma rede bem-estruturada e Jack saberá usá-la para a proteção de Hannah. Para isso, ele convoca Dan Carter, responsável pelo escritório da Private em Londres, como guardião de Hannah, agora uma mulher de 20 anos, estudante de psicologia.

O plano não podia dar errado – até Hannah e as amigas, incluindo a afilhada de Carter, serem atacadas em frente à universidade. Quando Hannah é mais uma vez sequestrada e sua afilhada entra em coma, Dan Carter descobre que os sequestradores são profissionais, alguém está vazando informações e a questão é pessoal.

O pesadelo recomeçou.

Sobre James Patterson:
Com 300 milhões de livros vendidos em mais de 100 países, James Patterson é um dos maiores escritores do mundo. Recordista de presença na lista de mais vendidos do The New York Times, é autor das consagradas séries Alex Cross e Clube das Mulheres contra o Crime.


Twitter: @editoraarqueiro --- Facebook: Editora.Arqueiro --- Instagram: editoraarqueiro

Estou lendo...

---> Confira os + acessados na semana

---> Ask

---> Publicidade

---> Indico e participo