14 maio, 2013

Entre Páginas de É melhor não saber - Chevy Stevens | Resenha

Algumas perguntas devem ficar sem respostas.

É melhor não saber - Chevy Stevens | Arqueiro, 2013 | 320 Páginas | Ficção / Suspense | Skoob

É Melhor Não Saber conta uma história que pode acontecer na vida de qualquer pessoa, não é algo comum, mas não é impossível que ocorra. Como na vida pessoal de cada um temos alguns segredos que talvez até que nós não temos conhecimentos ou por alguma razão não queremos saber, simplesmente esquecemos devido as consequências. Sim, há coisas que é melhor não saber, para o nosso próprio bem, ou até mesmo para que possamos estar vivos.

Como no livro Identidade Roubada (leia resenha), também da Chevy Stevens, a protagonista relata sua história para uma psicóloga que praticamente não orienta sua cliente na parte que é narrada, apenas a ouve. Sendo assim, toda a narrativa é contada para o leitor em primeira pessoa enquanto a personagem conta o que aconteceu entre as sessões, que ao todo são 23 devido a intensidade e a gravidade dos acontecimentos da vida de Sara. Todas as cenas e personagens são bem escritos e entrelaçados. Podemos também acompanhar toda a aflição e pensamentos que a protagonista está passando como se o leitor estivesse perto dela.

Sara Gallagher praticamente já construiu sua vida, tem 34 anos, trabalha restaurando móveis em sua própria casa, é mãe de Allen, uma garotinha que considera como pai seu padastro Evan que é noivo de sua mãe, sendo o homem dos sonhos de muitas mulheres, carinhoso, compreensivo... O problema é que Sara é filha adotiva e nunca conheceu seus pais biológicos, em toda sua infância viveu com seus pais e suas irmãs da família que a adotou. Quando ela tentou encontrar seus verdadeiros pais sua mãe de criação chorou e ela logo mudou de ideia. Porém, tudo muda quando a protagonista recentemente briga com seu pai, que a sempre tratou de modo diferente. A partir daí ela começa uma caçada para encontrar quem a entregou para a adoção.

Depois de contratar um detetive particular, Sara descobre que sua mãe é a única sobrevivente de um assassino em série, que estupra e assassina suas vítimas que sempre estão acampando em algum lugar em determinada época do ano. As tentativas para se aproximar da mãe biológica foram frustrantes para a garota já que ela não lhe deu muita atenção pra a filha para não desenterrar memórias tão tristes e marcantes de seu passado.

As coisas começaram a desequilibrar quando esse boato cai na internet. Ninguém sabia do paradeiro da única sobrevivente do assassino do acampamento e muito menos que ela tinha uma filha. Quando isso é descoberto pela mídia a vida de Sara e sua mãe biológica vira ao avesso, toda a família de Gallagher descobre que a filha de criação estava procurando respostas para o seu passado o que gera ainda mais tristeza e problemas.

Mas nada chega ser pior do que receber uma ligação do assassino, do pai de Sara, dizendo que ele queria conhece-la, que não sabia que ele tinha uma filha e que agora quer recuperar o tempo perdido. Desesperada e aflita, Sara procura a polícia, que começa uma investigação usando-a como vítima para colocar o serial killer atrás das grades. Porém isso vai ser muito perigoso e arriscado, ainda mais porque o verdadeiro inimigo está onde menos esperamos encontrar.

Um livro forte, viciante, carregado de suspense, reviravoltas, onde tudo tem uma razão que as vezes passa despercebido pelo leitor que quase sempre julga injustamente um personagem. Contudo, a história poderia ser mais objetiva em algumas partes onde o leitor precisa fazer um esforço mínimo para continuar lendo, alguns momentos se repetem e ficam chatos e cansativos, porém isso é apenas no início, enquanto a narrativa começa a ganhar um ritmo frenético.

A Editora Arqueiro fez um ótimo trabalho com a diagramação, que é diferente dos diversos livros de seu catálogo assim como com a revisão já que não encontrei nenhum erro. A capa ficou muito bonita, a personagem é igual a garota e a floresta retrata o serial killer, ou seja: pai e filha. Indico para quem procura alguma história para ler rápido se distraindo, ficando apreensivo e cheio de dúvidas, um livro que vai mexer com você enquanto você não descobrir o que acontecerá com Sara. O que o destino lhe reserva? E o seu pai, tem algo humano em um assassino em série?

Quote:
"Anos atrás você me ensinou que não podemos escolher como nos sentimos em relação aos fatos: escolhemos apenas como lidar com os sentimentos que eles nos despertam. Mas às vezes, mesmo quando se tem uma escolha, as opções são todas tão terríveis, que parece que não há decisão a tomar." Pag. 174

Avaliação:
Esse é um livro que eu estava esperando pelo lançamento desde quando li Identidade Roubava, livro que gostei muito. Na época não sabia que a Arqueiro iria lançá-lo no Brasil, e em 2013 finalmente o livro chegou por aqui o/ Não gostei tanto quanto o primeiro da autora, mas ainda assim o livro é ótimo!

  4 livros (ótimo)

A autora:
Chevy Stevens nasceu e foi criada em uma fazenda em Vancouver Island, no Canadá, lugar até hoje muito presente em sua vida. Quando não está diante do computador, faz caminhadas com o marido e o cachorro pelas montanhas próximas à sua casa. Vendido para mais de 20 países, Identidade roubada tornou-se best-seller na Alemanha e nos Estados Unidos.

Livro de cortesia da Arqueiro, confira o catálogo completo da editora: www.editoraarqueiro.com.br


Copyright 2013© - MyFreeCopyright. Todos os direitos reservados a Entre Páginas de Livros
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

10 comentários:

  1. Simplesmente, adorei a resenha do livro, o vídeo e achei espetacular a capa!
    Está de parabéns! E em breve, gostaria de ler livros assim desse tipo de gênero, especialmente esse, que me chamou a atenção.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Eu estou doida para ler esse livro. Já li Identidade Roubada e adorei demais!
    Parabéns pela resenha.
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Já faz um tempinho que quero ler esse livro, a história parece muito boa e com um tema de deixar o leitor pulando enquanto lê. Com certeza é uma das minhas metas para esse ano.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. A resenha do livro esta muito boa
    Da muita vontade de ler

    Beijos
    @pocketlibro

    ResponderExcluir
  5. Oi Caíque, já ouvi falar bastante desse livro nesses últimos dias e me interessei bastante. Adorei a sua resenha, parabéns. Acho essa capa muito enigmática, rsrs. Beijos, Fê

    ResponderExcluir
  6. Oi Caíque!

    Comprei esse livro a pouco tempo, pois adoro um bom suspense e a sinopse me chamou muito a atenção. Gostei muito da sua resenha e fiquei ainda mais curiosa. Mistérios e assassinatos, gosto muito do clima dessas histórias e você fica louco para descobrir todo o mistério.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa, eu sabia que no livro havia bastante suspense, mas tanto assim? \o/
    Nunca li nada de muito suspense, o que é triste, mas acho que seria legal se eu começasse lendo É Melhor Não Saber.

    E sua resenha ficou ótima! Objetiva e explicativa, adorei!

    Beijos
    Rafa-Eu + Livros
    blogeumaislivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro,
    mas fiquei bem curiosa com a estória, vou procurá-lo.

    A resenha ficou muito boa. Parabéns

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Carlos R. Rodrigues19 de maio de 2013 22:29

    Muito boa sua resenha caíque.Parabéns!
    Despertou ainda mais a minha curiosidade para ler algo dessa autora. Acho que começarei por esse.

    ResponderExcluir
  10. OI boua noite meu nome e Raquel e gostaria de falar que adorei seu livro pois me emocionou muito...nao gosto de livros de fixao eles nao contam a verdade mais o seu despertou uma curiosidade enorme entao resolvi ler....seu livro tem muito suspense e isso e legal rsrs entao quero dizer que vc esta de parabens ..parabens mesmo e continue escrevendo poi seus dons sao enormes :)

    ResponderExcluir